Últimas notícias
  1. Marido se mata por falta de sexo e polícia detém a viúva
  2. Criança é atacada por touro solto e irmão tenta salvá-la; assista
  3. Vídeo mostra dois ursos polares brigando por comida
  4. Em vídeo cientistas comprovam que tubarões são capazes de formar 'grupos'; veja
  5. Veja quando um trem vai atropelar uma cadeirante preso no cruzamento; assista
  6. Mãe fica cara a cara com tubarão de 2,5 metros e filho pede que fique calma;veja
  7. TSE adia decisão a respeito de tese sobre abuso de poder religioso
  8. Onde não tem atuação do garimpo não tem Covid-19, diz líder Yanomami
  9. Em live, Bolsonaro admite possibilidade de voltar ao PSL e cita outros partidos
  10. Rachadinhas: Ministro do STJ determina que Fabrício Queiroz volte para a prisão
  11. PMs planejaram morte de irmão de Freixo por causa de demissão
  12. Governador do estado do Amazonas testa positivo para Covid-19
  13. Partido decide punir deputados que votaram contra aumento do fundo eleitoral
  14. Flávio Bolsonaro segue com foro privilegiado após decisão da Justiça do Rio
  15. Gato tem mancha em formato de pênis no rosto; veja o vídeo
  16. Policial salva cadeirante de atropelamento por trem; veja o vídeo
  17. Em delação, Messer confirma que ex-presidente do Paraguai financiou sua fuga
  18. Cobra de duas cabeças é descoberta na Índia; assista
  19. Adolescente é esfaqueado três vezes, mergulhado em gasolina e queimado vivo;veja
  20. Polícia encontra estúdio de pornografia infantil no Rio; suspeito está foragido
  21. Lava-Jato de SP afirma ao STF que 'jamais se recusou' a enviar dados à PGR
  22. Justiça britânica decide até outubro se julga caso Samarco/Mariana
  23. Bezerro nasce apenas com as patas traseiras; veja o vídeo
  24. Avó joga neta de 3 meses pela sacada para salvar bebê de incêndio
  25. Presidente ouve gritos de “fora Bolsonaro” em evento no Pará e reage
news-details

Foto: promotora de Justiça Michele Nader, que atua na 14ª Promotoria de Maringá (MPPR)

*REDAÇÃO
COM ASSESSORIA

A atuação do Ministério Público do Paraná tem sido impecável, zeloso e eficiente nas diversas situações em que a injustiça foi, está ou poderá ser praticada contra a integridade na saúde pública e em situações de iminenntes de ameaças contra a ordem jurídica, doregime democrático e dos interesses sociais e individuais. As ações mais recentes, com várias manifestações de agradecimento registradas prlasplataformas da Revista Conexão Paraná, foi o alerta contra a fuligem ocasionada pelas queimadas nos canaviais. OMPPR lembou os riscos e impactos relacionaddos àcovid 19 "Já que a queima da cana de açucar aumenta (...) a fuligem", citando a recentepesquisa da Universidade de Harvard sobre a questão. (Leia a reportagem neste link:
https://www.facebook.com/revistaconexao/posts/3249610285106215

Outra recente intervenção do órgão foi na longa permanência dos idosos em asilos ( (ILPIs) . Desde dezembro de 2019, três instituições de repouso de idodos em Maringá foram interditadas a partir de intervenções do Ministério Público do Paraná, em conjunto com o Serviço Municipal de Vigilância Sanitária. O caso mais recente é de uma entidade fechada nesta terça-feira, 21 de julho, após a comprovação de que o local não oferecia as condições adequadas para os cuidados com os residentes – foram constatadas, inclusive, deficiências no fornecimento de alimentação e a inexistência de acompanhamento por profissionais de saúde. Diante desses problemas, o MPPR alerta às famílias que tomem alguns cuidados ao buscarem uma entidade que acolha seus idosos. Em todo o estado, existem aproximadamente 384 ILPIs.O texto abaico é da propria (e eficiente) assessoria de imprensa do MPPR))

A promotora de Justiça Michele Nader, que atua na 14ª Promotoria de Maringá, que tem atribuição da área de defesa dos direitos do idoso, destaca os riscos que uma instituição irregular pode oferecer aos idosos, especialmente neste período de pandemia. “Temos observado um crescimento de instituições que operam de maneira inadequada, na clandestinidade, sem garantir as condições mínimas de cuidados com a saúde dessas pessoas, o que é um risco. Em um dos casos inspecionados, um idoso chegou a ir a óbito e em outro não foram observados os cuidados necessários com o encaminhamento daqueles que testaram positivo para Covid-19”, comenta ela.

Cuidados – Um dos cuidados que as famílias devem ter no momento de buscar uma instituição é verificar se a entidade está inscrita no Conselho Municipal dos Direitos dos Idosos, se possui alvará e licença sanitária vigentes e se as instalações oferecem condições adequadas de acessibilidade. Outros aspectos relacionados à saúde e ao bem-estar do idoso também devem ser conferidos, como a oferta de atividades aos residentes e se há acompanhamento nutricional.

“Depois de escolhida a instituição, é muito importante que a família mantenha-se em atenção, observando, nas ocasiões de visitas, se o seu familiar está bem cuidado, se não está emagrecendo, se apresenta hematomas ou lesões cutâneas que possam indicar possíveis maus tratos ou falta de higienização adequada das roupas e leitos, buscando sempre ouvir o próprio idoso, de modo reservado, para verificar se ele está satisfeito com o atendimento que recebe ou se possui alguma queixa”, orienta a promotora de Justiça. Além disso, as famílias também podem buscar informações nas Promotorias de Justiça que atuam na defesa dos direitos do idoso em todas as comarcas do Paraná para saber se a entidade é alvo de algum procedimento do Ministério Público.

Participação social – O Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Proteção ao Idoso e à Pessoas com Deficiência do MPPR também orienta que a própria comunidade mantenha-se vigilante e comunique aos órgãos públicos, entre eles o Ministério Público e os Conselhos Municipais do Idoso, caso tenham conhecimento de estabelecimentos que operam de forma clandestina ou sem as devidas condições de funcionamento. Além disso, é papel do poder público investir em formas alternativas ao asilamento. “No contexto de uma política local de atenção ao idoso, é imprescindível a previsão de centros-dia, casas-lar, condomínios da terceira idade, repúblicas e famílias acolhedoras, entre outras soluções que, quando existentes, podem garantir que o idoso mantenha-se plenamente inserido em sua família ou comunidade”, reforça a procuradora de Justiça Rosana Beraldi Bevervanço, coordenadora do Centro de Apoio.

Exceção – Nessa direção, a promotora de Justiça Michele Nader destaca que a opção pelo encaminhamento à instituição de longa permanência, deve ser uma exceção, sendo mais recomendável, sempre que possível, a manutenção do idoso no meio familiar. “O Estatuto do Idoso é bastante claro ao prever que a prioridade é que esse segmento da população seja cuidado por seus entes familiares, devendo o atendimento asilar ser buscado somente nas situações em que o idoso não possui família que o acolha ou quando esta não tiver condições para a manutenção da sua sobrevivência”, alerta a promotora de Justiça.

Fiscalização – O acompanhamento das condições das ILPIs pelo Ministério Público do Paraná é feito pelas Promotorias de Justiça em todo o estado e acompanhado no âmbito do projeto “ILPIs Fiscalizadas”, pelo Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Proteção ao Idoso e à Pessoa com Deficiência. “A partir dessa iniciativa, as Promotorias de Justiça nas diversas comarcas do Paraná monitoram, em conjunto com os serviços de vigilância e demais órgãos de fiscalização dos municípios, as entidades onde residem os idosos”, destaca a promotora de Justiça Melissa Cachoni Rodrigues, que atua no Centro de Apoio.

Enquete

Se estiver no primeiro mandato, quais as chances do prefeito de sua cidade se reeleger ?


Todas

Nenhuma

Poucas